Produtos

A transição para a alimentação na mama

Taxas de amamentação – Resultados da transição para a alimentação na mama

Momento de leitura: 4 min.

As taxas de amamentação na UCI neonatal são medidas da quantidade de amamentação/alimentação com leite materno para bebés na UCI neonatal em pontos temporais específicos. Dado que muitos bebés na UCI neonatal recebem alta antes de conseguirem atingir alimentações completas na mama, é importante obter tanto a amamentação como a quantidade e proporção de alimentações com leite da própria mãe.

O que são as taxas de amamentação na UCI neonatal?

As taxas de amamentação na UCI neonatal são medidas da quantidade de amamentação/alimentação com leite materno (exclusiva, parcial ou nenhuma) para bebés na UCI neonatal em pontos temporais específicos:

  • Alta hospitalar
  • 2 e 4 semanas após a alta
  • 3 e 6 meses de idade gestacional corrigida (IGC)

Obter taxas de amamentação (quantidade e proporção) fornece dados qualitativos antes de conseguir atingir alimentações completas na mama. É importante obter tanto a amamentação como a quantidade e proporção de alimentações com leite da própria mãe (LPM). Isto fornece dados qualitativos sobre a temporização das sessões de alimentação com LPM e as durações da amamentação ao longo da estadia do bebé na UCI neonatal e após a alta hospitalar, para medir o impacto da dose elevada e da exposição longa ao LPM na redução das probabilidades de comorbilidades neonatais.1

   

Por que razão são importantes as taxas de amamentação na UCI neonatal?

As taxas globais de amamentação para bebés de termo saudáveis são recolhidas ao nascer e aos 6 meses de idade.2

  • Para avaliar a comparação nacional e subnacional e descrever as tendências ao longo do tempo
  • Para visar populações de risco e implementar intervenções para mudar as práticas
  • Para avaliar e monitorizar o progresso e o impacto das intervenções

As taxas de amamentação normalizadas não são recolhidas por rotina para as díades bebé-mãe na UCI neonatal aquando da alta. A base de dados da Vermont Oxford Network (VON) recolhe medidas sobre qualquer alimentação com leite humano nas 24 horas anteriores à alta, mas estes dados não são recolhidos globalmente e não diferenciam a utilização de LPM e de LHD.

As taxas de amamentação na UCI neonatal são importantes para criar uma imagem mais clara do número de bebés na UCI neonatal que recebem LPM nos volumes de que necessitam.

As intervenções de melhoria da qualidade nas melhores práticas de aleitamento que medem as taxas de amamentação proporcionam um modelo para os serviços de UCI neonatal e de maternidade, para otimizar os resultados na saúde a longo prazo dos bebés na UCI neonatal e para apoiar as mães com oportunidades para continuar a amamentar para além do período na UCI neonatal.3,4


Como otimizar as taxas de amamentação na UCI neonatal

A recolha continuada de dados da amamentação quantitativos e específicos da UCI neonatal após a alta, permite aos profissionais de saúde concentrarem-se no LPM:

As taxas de amamentação exclusiva/com LPM baixas aquando da alta e os pontos temporais subsequentes podem ser um indício de cuidados de aleitamento sub-ótimos durante a estadia no hospital2 e podem apoiar o grupo de trabalho no sentido de discutir áreas de melhoria e implementar mudanças nas práticas.5

  • proporcionar apoio contínuo ao aleitamento proativo5
  • auditar as intervenções hospitalares para apoiar as mães na UCI neonatal para:
    • iniciarem, desenvolverem e manterem a produção de leite de forma eficaz
    • permitir que os bebés na UCI neonatal transitem para a alimentação na mama.

As taxas de amamentação exclusiva/com LPM baixas aquando da alta e os pontos temporais subsequentes podem ser um indício de cuidados de aleitamento sub-ótimos durante a estadia no hospital2 e podem apoiar o grupo de trabalho no sentido de discutir áreas de melhoria e implementar mudanças nas práticas.5


Como monitorizar as taxas de amamentação na UCI neonatal

Recolha e reveja os dados (dos registos médicos de bebés na UCI neonatal e com chamadas de seguimento para revisões aos pais/pacientes externos) para medir

  • A percentagem de bebés exclusivamente amamentados e/ou alimentados com LPM
    • aquando da alta do bebé da UCI neonatal
    • 2 e 4 semanas após a alta
    • 3 e 6 meses de idade gestacional corrigida
  • A percentagem de bebés parcialmente amamentados ou não amamentados e/ou alimentados com LPM
    • aquando da alta do bebé da UCI neonatal
    • 2 e 4 semanas após a alta
    • 3 e 6 meses de idade gestacional corrigida
Referências

1. Bigger HR et al. Quality indicators for human milk use in very low-birthweight infants: are we measuring what we should be measuring? J Perinatol. 2014; 34(4):287–291.

2. WHO. Indicators for assessing breastfeeding practices; 2021.

3. Takako H et al. Improving Human Milk and Breastfeeding Rates in a Perinatal Hospital in Japan: A Quality Improvement Project. Breastfeed Med. 2020; 15(8):538–545.

4. Spatz DL et al. Pump early, pump often: A continuous quality improvement project. J Perinat Educ. 2015; 24(3):160–170.

5. Parker MG, Patel AL. Using quality improvement to increase human milk use for preterm infants. Semin Perinatol. 2017; 41(3):175–186.

Artigos relacionados

Artigos que podem ser do seu interesse

Iniciação eficaz

Momento da primeira extração - Intervenções de iniciação eficaz

Saiba mais
Iniciação eficaz

Recursos para uma transição bem-sucedida do hospital para casa

Saiba mais
Iniciação eficaz

Atingir o volume – Resultados da iniciação eficaz

Saiba mais
Iniciação eficaz

Momento da primeira extração - Intervenções de iniciação eficaz

Saiba mais
Iniciação eficaz

Recursos para uma transição bem-sucedida do hospital para casa

Saiba mais
Iniciação eficaz

Atingir o volume – Resultados da iniciação eficaz

Saiba mais